Noticias
Titulares - Geral
31/01/2012 10:50
Transição marcada com agitação no PAIGC
No próximo dia 18 de Março, o país vai eleições presidenciais para escolher o sucessor de Malam Bacai Sanhá, falecido a 9 de Janeiro deste ano em Paris. A partida, Carlos Gomes Jr. presidente do PAIGC e Primeiro-ministro da Guiné-Bissau assume-se como principal favorito, mas as coisas advinham-se tensas no seio do partido.


Informações vindas do próprio PAIGC dão conta que existe neste momento cinco pretensos candidatos a liderança às primárias de forma a poderem ser apontados pelo partido como candidatos à Presidência da República. Dentre estes candidatos um dos nomes mais sonantes é o de Serifo Nhamadjo, primeiro vice-presidente da Assembleia Nacional Popular e que neste momento exerce as funções de presidente em exercício do hemiciclo.
Nhamadjo confirmou que na realidade é candidato, mas só isso aconteceu. Por exemplo na quinta-feira passada circularam informações em como iria depor a sua candidatura no Comité Central para ser votado, mas depois nada aconteceu. Soube-se depois, que a não deposição da candidatura estará ligada a ausência do Secretário Permanente do Partido, Augusto Olivais. No dia seguinte, surgiram novas informações que davam conta que, os próximos de Serifo Nhamadjo não conseguiram localizar Olivais.
Certo ou não, a verdade é que neste particular, o partido está dividido. Carlos Gomes Jr. já recebeu apoios dos militantes do PAIGC vindos do leste do país a pedirem para que fosse candidato a Presidência da República.
Carlos Gomes Jr. aceitou o pedido – auto considerou-se candidato natural em função da sua posição no partido, mas remeteu tudo para o Comité Central do partido que deverá reunir na próxima quinta-feira.
Fontes políticas garantiram que essa reunião constitui apenas formalidades, porque na pior das hipóteses, Carlos Gomes Jr. será sempre candidato a Presidência da República. Ou seja na eventualidade de ser barrado pelo Comité Central, vai avançar como candidato independente.

Fonte: guine-bissau.com
Por: SABINO SANTOS LOPES