Publicidade
Notícias
Economía
Cultura
Instituições e Empresas
Personagems
Links
Editorial
Documentos
Cronologías
 Editorial
28/08/2004
Animais humanos
Levar Casaco e gravata ou estupendas indumentarias não servem para distinguir o Homem do animal.

Mais Editoriais
LIBERDADE DE EXPRESSÃO !!   23/10/2004
OUTRA VEZ O EXÉRCITO   12/10/2004
É uma vergonha   29/03/2004
Liberdade de Expressão   29/11/2003
Levar Casaco e gravata ou estupendas indumentarias não servem para distinguir o Homem do animal. A distinção entre homens e animais baseia-se no respeito aos demais, no respeito ás liberdades, á democracia, aos direitos humanos; deve-se distinguir por umas relações superiores as que estabelecem animais da mesma espécie entre os mesmos o qual de por si já é muito superior a relação que estabelecem certos “animais humanos” com os demais humanos.

Um leão pode-se bater num duelo interminável contra outro leão mas nunca este duelo chega a morte… mais bem provam as forças e acabam por reconhecer a superioridade do outro. Compare-se este comportamento com alguns “animais humanos” espécie actualmente abundante no país.

De novo se escutam apelos a intervenção do exército; fê-lo há dias um “animal humano” do PRS, de novo agridem-se representantes de organizações sociais, de novo muitas praticas próprias de “animais humanos” voltam a surgir pelo país.

Que podemos fazer para que estes animais possam evolucionar até a categoria humana?

Simplesmente dar-lhes as costas, convencê-los de que recorram a um psicólogo ou, nos casos mais recalcitrantes, fechá-los num jardim zoológico para admiração dos demais Humanos.

O estado e as suas instituições não são couto de caça de ninguém em particular; são para estar ao serviço da melhoria das condições de vida dos cidadãos.

O exercito tal e como demonstra a evolução humana é para estar metido nas casernas e defender as fronteiras ou ajudar em situações de calamidades nacionais – desastres provocados pela natureza, catástrofes humanas… ainda que o melhor seria que não existisse exercito e que ocupássemos esse dinheirinho em criar escolas, universidades, infra estruturas rodoviárias etc. etc.

O exército deveria em todo caso, estar composto por humanos e não por “animais humanos” mas isso é provavelmente impossível numa instituição caracterizada pelo animalismo.

Mas a Guiné-Bissau já não está sozinha no mundo; um mundo cada vez mais globalizado mais humano. Os possíveis pretendentes a ditadores devem saber que já não estão a salvo nem dentro da Guiné-Bissau; os tribunais internacionais actuam e aí estão os exemplos de Pinochet do Chile, da Jugoslávia, da Argentina, incluído o próprio Presidente dos Estados Unidos que se enfrenta a possibilidade de um tribunal por uma guerra que não deveria ter acontecido nunca.

Num mundo globalizado os estados e governos estão a mercê da povoação que agora conta com redes de dados poderosas pelas quais circulam as noticias e as mobilizações publicas em fracções de segundos e que obrigam os governos a cambiar de rombo ou simplesmente cambiam os governos.

Essas mesmas mobilizações impedirão a venda dos nossos produtos no mundo inteiro através do boicote activo.

Reincidir nas práticas dos “animais humanos” conduziria o nosso país, de novo, ao estado de uma capoeira, sumido no atraso económico, cultural, sumido na estupidez humana e a demência mental…

Assim pois que vantagem tem um golpe de estado para os ditadores, oportunistas e outros “animais humanos”?

Aprendam a ser humanos e tratem de conseguir que a nossa povoação possa chegar a esse estado. Façam-nos sentir orgulhosos de ser guineenses. Ponham-se estupendas indumentárias – se é preciso pagaremos entre todos essas indumentárias aos nossos representantes - e caminhem com a cabeça bem erguida, orgulhosos de ser os campeões da luta pelo engrandecimento da nossa humanidade guineense.

Mais escolas, mais universidades, hospitais, estradas, serviços médicos melhores para todos, mais liberdade, mais critica toda quanto seja possível, estas são as receitas da evolução.

Evitem passar a vergonha de querer manipular ou amordaçar os meios de comunicação pública e transformem-se em campeões do diálogo …

E antes de cair na tentação do comportamento “animal humano” pense nas imensas possibilidades que lhe da ser da espécie humana.

A valentia não significa a imposição pela força; a valentia esta na capacidade individual de reprimir os baixos instintos, na capacidade de potenciar tudo aquilo que nos leva, individualmente, a um estado evolutivo, á conquista da humanidade.
 

Guine-Bissau.com - marca registrada.
Não se autoriza a utilização dos nossos conteúdos sem prévio acordo.
BISSAU - GUINÉ-BISSAU
EDITORIAL
  LIBERDADE DE EXPRESSÃO !!
>> ELEIÇÕES 2008
>> ELEIÇÕES 2004
>> OPINIÃO
>> ANÚNCIOS
>> CORRUPÇÃO
>>  AJUDAS INTERNACIONAIS
>>  DOSSIERS
 Arduinna.org